Nacional de Clássicos chegou ao fim no Algarve

Competição 30 Out 2017

Nacional de Clássicos chegou ao fim no Algarve

Racing Weekend 2017 terminou esta tarde (Domingo) em Portimão. Foram disputadas as duas últimas corridas da época, pontuáveis para o Campeonato Nacional Legends e ainda para o Nacional de Clássicos e Clássicos 1300.
 
CNCC + CNCC 1300
 
João Macedo e Silva (Porsche 911 RSR) partiu como uma bala, da sexta posição da grelha e na curva cinco, o gancho, já estava a discutir o primeiro posto com Joaquim Jorge (Ford Escort) e Rui Alves (Ford Escort). Ainda na primeira volta o Porsche ditou a lei e Macedo e Silva colocou-se na frente. Depois ganhou vantagem e a corrida estava decidida no que à vitória entre os H75 e geral dizia respeito.

 
Joaquim Jorge e Rui Alves ficavam a discutir o segundo posto, Jorge ia ganhando vantagem, mas Alves nunca o deixou fugir.
 
Mais para trás, à terceira volta, Jorge Cruz (BMW 323i) comandava os H81, e liderava também um grupo animado, em que Alexandre Guimarães lutava com Joaquim Soares e levava a melhor, numa luta de Lotus Elan. Guimarães era o líder do Grupo 5 e Joaquim Soares era o melhor dos H71
 
Pouco depois, na curva três o motor do Lotus de Soares “calava-se” e perdia várias posições, já só lhe restava tentar recuperar. Conseguiu chegar a 13º
 
Alexandre Guimarães subia para quarto por troca com Jorge Cruz que ainda ia perder mais um lugar para Duarte Fraga, que viria a vencer o Grupo 5, depois de ultrapassar Alexandre Guimarães.
 
Problemas de autoblocante do BMW de Cruz explicavam o desempenho menos bom na segunda metade da corrida, mas mesmo assim, não perdia o primeiro lugar dos H81. Fernando Xavier (WV Sirocco) era segundo dos H81.
 
No Grupo 1, Pedro serrador (BMW 323i) era o homem do momento e João Vieira (Karmann Ghia) ganhava nos H65.
 
Francisco Pinto perdeu uma roda do BMW 2002 e isso motivava a entrada do Safty Car. A prova terminou sem que o veículo de segurança saísse da pista.
 
CNCC 1300
 
Filipe Nogueira (Morris Mini 1275 GT) foi o homem do início da corrida. Colocou-se na frente e deixou Arnaldo Marques (Datsun 1200) e Luís Alegria (Datsun 1200) a discutirem o segundo posto.
 
À quinta volta Arnaldo Marques subiu para primeiro, por troca com Filipe Nogueira e de seguida era a vez de Luís Alegria apanhar Nogueira e passá-lo.
 
A partir de meio da corrida era o tempo de Luis Alegria lançar o ataque. Começava a cobiçar a liderança de Arnaldo Marques e depois passava para primeiro, posição em que viria a terminar a prova. Simultaneamente era o vencedor dos H75.
 
Arnaldo Marques, a nove décimas de Alegria, era segundo, melhor dos H71 e trazia Nogueira a duas décimas.
 
Em termos de classificação seguiam-se: João Braga (Datsun 1200), Fernando Charais (Datsun 120Y) e José Fafiães que com um motor que não andava montado no Datsum 1200, não conseguia ir mais além. Recorde-se que na sexta-feira partiu e nas corridas nunca teve o motor verdadeiramente competitivo.
 
LCC
 
Henrique Jordão (Volvo S60) arrancou muito bem e colocou-se em primeiro. Paulo Sousa (BMW M3 E36) rodava colado e ganhava a primeira posição ainda na primeira volta.
 
O terceiro posto era muito discutido e Nuno Figueiredo (Volvo 850 T5 Estate) José Meireles (Toyota Carina E) e passavam Pedro Alves (Citroen Saxo) que não descolava da traseira do Carina E.
 
Nos FEUP lutas bem interessantes marcavam a prova
 
Nos Alfa-Romeo 156, André Martins era o primeiro e trazia António Ferreira a menos de meio segundo.
 
Com a corrida a meio, Gonçalo Rodrigues lançou o ataque que lhe permitia ultrapassar os dois da frente a acabar a corrida em primeiro.
 
Recorde-se que no Sábado Rodrigues venceu, mas foi desclassificado após as verificações técnicas, por inconformidades no Alfa-Romeo 156.
 
Nos Fiat Punto Filipe Marques e André Tavares discutiam a primeira posição. Entretanto Miguel Rodrigues colava-se aos dois da frente e nas voltas que faltavam ainda os conseguiu ultrapassar e vencer.
 
Pedro Alves começou a descer na classificação e acabou mesmo por seguir para a box sobre um reboque, com problemas num perno de uma roda.
 
Paulo Sousa foi o primeiro a cortar a meta, venceu os PH99. Nos PH90 a vitória foi para Sérgio Moutinho (BMW 323i).
 
Nos LCC há uma participação especial. Henrique Jordão alinha nesta prova com um Volvo S60, ex-STCC, um carro de 2002, que está “fora” do regulamento dos LCC, devido ao ano de construção ser posterior a 2000.
 
Nesta prova, por ser a última do ano, foi permitido a título excepcional que Gonçalo Jordão alinhasse com este carro, sem pontuar e sem interferir nas classificações dos restantes participantes, preparando já uma futura categoria a integrar os Supercar em 2018.


TAGS: Campeonato Nacional Legends Clássicos 1300 Nacional de Clássicos


PARTILHAR:

Deixe um comentário

Please Login to comment