Ferrari 599 GTB Fiorano F1, o GT fiel à casa de Maranello

Arquivos 13 Set 2017

Ferrari 599 GTB Fiorano F1, o GT fiel à casa de Maranello

Fiel à herança de Enzo, de elegantes GTs de frente alongada escondendo poderosos motores V12, em 2006 a Ferrari aproveitou o Salão de Genebra para revelar o modelo 599 GTB Fiorano. Tal como os seus antecessores, o novo Gran Turismo Berlinetta foi concebido para ser o melhor e mais rápido de sempre e, por isso, a associação ao nome do circuito privado de Fiorano – no qual todos os modelos de estrada e competição da marca do cavalinho rampante são afinados – deixava antever um verdadeiro desportivo.
 
Denunciando a capacidade do motor V12, dividida por dez, a nomenclatura “599” era por si só um forte indicador de excelência mecânica. O bloco, normalmente aspirado, com duas árvores de cames à cabeça por bancada e abertura variável de válvulas, debitava uns impressionantes 620 CV de potência às 7.600 rotações e 608 Nm de binário máximo às 5.600 rotações.
 
A nova geração da caixa de velocidades F1-SuperFast veio permitir passagens de caixa ainda mais rápidas, com diversos programas de gestão do funcionamento, incluindo modo automático e “Launch Control”. Graças à experiência acumulada na F1, os engenheiros de Maranello desenvolveram para o 599 GTB Fiorano um novo sistema de controlo de tracção. Baptizado F1-Trac, o sistema veio melhorar a aderência à saída das curvas em 20%. Aliado à suspensão activa controlada magneticamente SCM (Magnetorheological Suspension Control), o F1-Trac melhorou substancialmente o comportamento do GT.
 
Transpondo os comandos utilizados na Fórmula 1, o volante do 599 GTB Fiorano utilizava uma evolução do “manettino”, o pequeno comando giratório desenvolvido para a temporada de 1996 da F1. Integrando a afinação do programa de estabilidade, controlo de tracção F1-Trac, caixa de velocidades e os modos da suspensão SCM, o “manettido” possibilitava ao piloto alterar por completo o carácter do automóvel num intuitivo girar de pulso.
 
Desenhada nos estúdios Pininfarina e esculpida pelo vento, a carroçaria em alumínio do 599 GTB foi estudada em túnel de vento e optimizada em termos de apoio aerodinâmico e arrasto. As prestações do novo Ferrari 599 GTB Fiorano eram dignas de superdesportivos como o saudoso F40. Capaz de acelerar dos 0 aos 100 Km/h em 3,7 segundos e superar os 330 Km/h de velocidade máxima, o modelo entrou directamente para o panteão da marca. Verdadeiro neoclássico, o Ferrari 599 GTB Fiorano F1 de 2007 é um dos melhores Gran Turismo produzidos em Maranello, rivalizando com antepassados como o Ferrari 250, 275 GTB/4 ou o impressionante 365 GTB/4 “Daytona”.
 
Este e outros modelos icónicos da Ferrari podem agora ser vistos na exposição temporária “Ferrari: 70 anos de paixão motorizada”, patente no Museu do Caramulo.
 
Veja a galeria em baixo com algumas das melhores imagens do Ferrari 599 GTB F1.
 

previous arrowprevious arrow
next arrownext arrow
previous arrownext arrow
Slider


TAGS: Ferrari Museu do Caramulo


PARTILHAR:

Deixe um comentário

Please Login to comment