O desfecho dos clássicos no Algarve

Competição 31 Out 2016

O desfecho dos clássicos no Algarve

O Autódromo internacional de Algarve (AIA) recebeu este fim-de-semana a derradeira jornada dos Campeonatos Nacional de Clássicos Circuitos (CNCC), Nacional de Clássicos Circuitos 1300 (CNCC 1300) e Legends (LCC). Corridas animadas, com decisões “dramáticas” sobre a meta, marcaram o último dia de provas no Algarve.
 
CNCC
 
João Pedro Silva (Porsche 911 RSR) venceu, depois de uma prova bem animada com o pódio a ser açambarcado pelos homens dos H75. João Pedro venceu de novo, Joaquim Jorge (Ford Escort) terminou a meio segundo do Porsche, trazendo Rui Costa (Ford Escort), também a meio segundo.
 
Para esta situação contribuiu a entrada do safety-car. A tampa do óleo do motor do Ford Escort de Francisco Mora saltou e espalhou óleo na pista. No retomar da prova, foi uma espécie de novo “baralha, parte e dá”, que trouxe emoção até ao baixar da bandeira.
 
Sérgio Soares (BMW 2002) foi o principal espectador desta luta e ao ser o quarto a cortar a meta arrumou a seu favor as contas dos H71, mais uma vez.
 
Logo atrás aconteceu uma luta bem interessante entre Porsche´s em que Rui Macedo e Silva levou a melhor, mas em que Kiko Mora venceu nos H81.
 
Rómulo Mineiro voltou a ditar lei com o Escort de Grupo 5, fechou o “top dez” da geral. Nota ainda para as provas de Pedro Serrador (BMW 323i), vitória no Grupo 1; de Sérgio Monteiro (Autobianchi A112), que venceu a Taça 1000 e para João Oliveira (Karmann Ghia) que ganhou a Taça 1600 H65.
 
CNCC 1300
 
José Fafiães (Datsun 1200) teve que suar para vencer a prova do Campeonato 1300. Paulo Antunes (Datsun 1200 Coupê) foi um adversário que se bateu até ao “lavar dos cestos” e terminou a uma décima de segundo.
 
Também aqui a presença do safety-car contribuiu para que as coisas só ficassem resolvidas sobre a meta e desta vez Fafiães foi quem levou a melhor no retomar da prova.
 
Luís Sousa e Costa (Datsun 1200) foi o terceiro, melhor H71 nos 1300 e terminou à frente de Sérgio Monteiro (Autobianchi), que como já vimos ganhou a Taça 1000.
 
Classificações aqui.
 
LCC
 
Luís Barros (Ford Sierra RS500) voltou a vencer. Cortou a meta em primeiro e assim “arrumou” a questão da vitória e do título, virtualmente, na categoria LCC 90.
 
Com os problemas de ontem resolvidos no Sierra de João Novo e no BMW M3 de Herculano Antas, a oposição foi naturalmente encarnada por estes, principalmente nas voltas iniciais. Com o desenrolar da prova Barros foi ganhando distância, tanto mais que o espanhol António Castro se intrometeu na luta e permitiu que o homem do Sierra cinzento ganhasse distância.
 
João Novo passou assim a ser o segundo dos LCC´s nacionais, mas Herculano Antas andava sempre próximo, cortaram a meta separados por 12 segundos e Antas foi quem mais pontos amealhou nos LCC99.
 
Ricardo Dinis (Honda EMI EJ6) voltou a vencer a Categoria Especial e assim arrumou também a questão do Campeonato.
 
No desafio FEUP 3 mais uma corrida em “ritmo de troféu”, mas desta vez a vitória foi para os irmãos Delgado (Alfa-Romeo 156), que conseguiram uma margem de dois segundos sobre Gustavo Moura.
 
No Desafio FEUP 2, Diogo Gonçalves e Pedro Monteiro foram conquistar pontos preciosos, que os colocam virtualmente na frente do Campeonato, principalmente porque a oposição foi encarnada por André Tavares e os até aí líderes, Pedro Oliveira e Manuel Sousa não foram além do quinto posto, com problemas mecânicos no Fiat Punto.
 
Portanto, em termos de Campeonato, há ainda contas a serem feitas, pontuações serem descartadas e uma prova de resistência para encerrar a época.
 
Por fim, mais uma vitória de Carlos Gonçalves (Fiat Uno 70Sx) na Taça 1300.
 
Classificações aqui.


TAGS: Autódromo internacional de Algarve Campeonato Nacional de Clássicos


PARTILHAR:

Deixe um comentário

Please Login to comment