Novo percurso torna Baja mais atractiva

Competição 20 Ago 2014

Novo percurso torna Baja mais atractiva

A Escuderia Castelo Branco organiza a 12 e 13 de Setembro a edição 2014 da Baja TT Idanha-a-Nova, prova a contar para o Campeonato Nacional de Todo-o-Terreno, autos, motos, quads, buggies, e ainda para o Desafio Mazda Elf, para a FIM Baja Cup, Campeonato Europeu de Bajas e Campeonato Nacional de Todo-o-Terreno de Quads, Motos e UTV.
 
Em termos competitivos, a prova das Motos/Quads/ UTV-BUGGY, continua a realizar-se em dois dias, encaixando-se de novo na competição auto. A prova tem este ano um percurso que sofreu profundas alterações, tanto a nível de prólogo/super-especial, quer no que se refere aos setores principais, com mais quilómetros, agora com a partida e chegada, no largo da Senhora do Almortão.
 
Hélder Esteves, director da prova das Motos/Quads/ UTV-BUGGY, diz que o percurso foi este ano alterado cerca de 40%, “temos um percurso mais rápido, com um grau de dificuldade maior”.
Este ano a prova vai visitar freguesias por onde a prova ainda não tinha passado, como Segura, Salvaterra e Zebreira.

 
O Campo de aviação de Monfortinho, a Sr.ª do Loreto e junto às piscinas da Zebreira serão locais de excelência para assistir ao espectáculo, embora a organização prepare mais duas zonas de espectáculo que serão brevemente anunciadas.
 
A Escuderia tem confirmada a presença de todos os pilotos que disputam o Campeonato Nacional, liderado neste momento por Mário Patrão (Motos) Roberto Borrego (Quads) Jorge Monteiro (Buggy-UTV).
Nesta prova, Baja TT Idanha-a-Nova, podem ser conhecidos campeões, “estamos quase a chegar ao fim do campeonato, e podemos conhecer aqui já algum dos campeões, pelo menos na parte dos Quads” acredita Hélder Esteves.
 
Para os automóveis a Escuderia Castelo Branco apresenta um percurso de cerca de 355 km, que inclui uma dupla passagem pela super-especial com 7 km.

Para Nuno Almeida Santos, director da prova dos autos “este ano introduzimos um percurso completamente diferente, ainda que cruzando pistas idênticas, mas com sentidos completamente diferentes”. Para o responsável esta é uma versão final, “completamente nova para os pilotos”.
 
O grau de exigência é igual aos dos anos anteriores, diz Nuno Almeida Santos, “tentámos tirar alguns sectores mais violentos, é um percurso técnico mas muito mais rolante, mais rápido, porque as características do concelho de Idanha assim o permitem”.
 
O campeonato Nacional Todo o Terreno, tem este ano 7 provas, a Baja de Idanha-a-Nova é a 4, o que significa que “matematicamente ainda tudo está em aberto, ao contrário do que aconteceu em anos anteriores”.
 
Nuno Almeida Santos, destacou também o facto de a Baja TT de Idanha-a-Nova ser uma das duas provas portuguesas a contar para a Taça Ibéria de Todo o Terreno.



PARTILHAR:

Deixe um comentário

Please Login to comment