Porsche 356 Meeting foi um sucesso

Clássicos 05 Jun 2014

Porsche 356 Meeting foi um sucesso

Durante três dias nada menos que cento e noventa e cinco Porsche 356 (mais um Devin-Porsche) provenientes de todo o mundo percorreram as deslumbrantes paisagens de Sintra e Cascais, acabando por se “fixar” em perfeito alinhamento em frente ao Mosteiro dos Jerónimos ao final da manhã de sábado, numa imagem de colorido irrepetível que até D. Manuel gostaria de ter apreciado.
 
Tudo começou na quinta-feira, 29, no Autódromo do Estoril. Cada concorrente tinha 15 minutos para mostrar o que valia em pista e foram vários os que decidiram explorar os seus limites e dos seus carros, isto apesar das condições atmosféricas (elevado teor de humidade) não recomendarem grandes atrevimentos. Mas quem quer saber de humidades quando tem nas mãos um Porsche 356 e uma pista livre para acelerar? Enquanto por lá andei vi vários “aviões” a passarem por mim, com especial destaque para o Devin e para uma meia dúzia de Carreras que emitiam um “ronco” impressionante de cada vez que os respectivos conta-rotações se aproximava do traço vermelho. Foi uma experiência única poder partilhar o belo traçado do Estoril com tantos e tão bonitos Porsche 356 num fim de tarde cinzento mas que trazia promessas de amanhãs mais luminosos. Como viria a acontecer.
 
Chegados a sexta-feira, Sintra apresentava-se como o grande desafio da Organização. Depois de uma prova de regularidade na Lagoa Azul os participantes deliciaram-se com o espectáculo magnífico das estradas da serra a começarem a serem iluminadas pelo Sol que entretanto se apresentou em todo o esplendor, cumprindo a promessa tantas vezes repetida que este foi, é e será o “país do Sol”. Só que depois da descida da rampa da Pena era preciso arranjar lugar para estacionar 196 carros no meio do habitual “caos” turístico que a lindíssima e romântica vila de Sintra sempre produz. Mas a fantástica equipa de Luis de Brito não deu confiança e resolveu este problema com a mesma simplicidade e eficácia com que venceu todos os desafios que foram surgindo. Chapeau! À tarde a “armada” 356 passou pelo Cabo da Roca e acabou estacionada na Marina de Cascais, proporcionando mais um motivo de atracção para os muitos turistas que se encontravam na zona.
 
O sábado terminaria com a “pièce de resistance”: um desfile por Lisboa e depois a “formatura” em frente ao Mosteiro dos Jerónimos. Que nos perdoem o dito mais o CCB, o Museu de Marinha, os pastéis de Belém, o Planetário e o Museu dos Coches, mas o que os milhares de pessoas que por ali andavam queriam mesmo era aproximarem-se dos quase 200 carros multicores e afagarem com carinho a obra prima de Ferry Porsche. Um deslumbramento que nenhuma fotografia poderá ilustrar devidamente.
Tudo acabou já de madrugada no salão Preto e Prata do Casino Estoril. Terminado o jantar, os discursos e o espectáculo residente, o palco abriu-se e vindo do seu interior surgiu a silhueta inconfundível de um Porsche Speedster envolto numa nuvem de fumo branco sobre a qual incidia a luz colorida de vários projectores. Os mais de 400 convidados entraram em êxtase e tiveram boas razões para tal. Um verdadeiro espectáculo dentro do espectáculo.
 
Durante o seu discurso na cerimónia de encerramento Jim Liberty, director do Porsche 356 Registry, chamou-lhe “the best 356 Meeting ever”. É a sua opinião e vale o que vale, mas sabendo nós que os americanos não são muito dados a hipérboles particularmente quando se trata de avaliar o trabalho de outros países, talvez este tenha sido de facto um dos melhores Meetings de sempre. Várias opiniões apontam nesse sentido.
 
Uma palavra final para a equipa de Luís de Brito que em parceria com o Porsche Clube 356 Portugal organizou este evento. Um portento de energia, “know how”, disciplina, rigor e planeamento que deu uma contribuição decisiva para o inquestionável sucesso desta operação.
 
José Guedes
Imagens: Gonçalo Macedo e Cunha



PARTILHAR:

Deixe um comentário

Please Login to comment