O caminho até à Fórmula 1: Tony Rolt

Arquivos 27 Out 2013

O caminho até à Fórmula 1: Tony Rolt

Por Pedro Branco

Tony Rolt começou a correr bastante cedo, atendendo aos padrões da época, estando na partida das 24 Horas de Spa com a tenra idade de 18 anos, corria o ano de 1937.
 
Competindo até ao começo da Grande Guerra, alistou-se no exército, vindo a ser preso pela Luftwaffe durante a batalha de Calais.
 
Depois de se tentar escapar várias vezes do cárcere nazi, foi enviado para a prisão de alta segurança de Colditz onde, não fosse os Aliados terem entretanto chegado, teria tentado fugir com recurso a uma asa-delta bi-lugar que estava a projectar!

 
Esse lado engenhocas reflectiu-se no seu regresso à competição e à vida profissional futura. O agora Major na reserva dedicou-se a competir nos primeiros anos ao volante deste Alfa Romeo Aitken, uma versão de um Bimotore que tinha sido conduzido por Louis Chiron e que tinha chegado ao Reino Unido ainda antes do começo do conflito.
 
Já de si um carro com deveras particularidades a nível técnico, Rolt e o seu mecânico Freddie Dixon dedicaram-se a tentar inovar ainda mais esta máquina, transformando-o num carro de tracção total, o que lhe permitiu não perder assim muita vantagem em relação à concorrência mais actualizada.
 
Estreou-se no Mundial de F1 durante o Grande Prémio britânico de 1950, quando Peter Walker cedeu-lhe a condução do seu ERA.
 



PARTILHAR:

Deixe um comentário

Please Login to comment