Visita ao Museu Porsche- Parte 2

Clássicos 07 Dez 2012

Visita ao Museu Porsche- Parte 2

Do 550 A Spyder ao Carrera GT

A mostra da História da Porsche continua a bom ritmo, sendo o visitante rapidamente absorvido por momentos únicos. Um deles prende-se quando se avista o Porsche 550 S Spyder, mostrado pela primeira vez em 1956. Conhecido pelo lendário James Dean como “Little bastard”, este veículo construído e idealizado exclusivamente para a competição, possuía um motor boxer de quatro cilindros com 1.498c. O famoso actor norte-americano morreu num acidente com um carro destes, quando contava apenas com 24 anos. Ia a caminho de uma prova na pista de Salinas, na Califórnia, e um carro veio em sentido contrário, falecendo de imediato. Três anos mais recente é o Type 754 “T7”, que foi decisivo no design final do 911. Desde que Ferdinand Porsche se recusou a produzir automóveis de quatro lugares, o “T7” nunca entrou em produção corrente.
Outro importante carro que se pode apreciar no museu é o 356 B 2000 GS Carrera GT de 1960, que apresentava não só uma nova estética, como algumas modificações a nível tecnológico, como o uso de alumínio em vários elementos moveis. Outra interessante inovação prendeu-se com o sistema optimizado de arrefecimento de travões.
E chegamos à era do 911 em 1963, quando a marca germânica apresenta o sucessor do 356 no Salão Automóvel de Frankfurt. Com inúmeras diferenças face ao pioneiro Porsche, o 911 vinha munido de um bloco de seis cilindros e um dos desejos de Ferdinand Porsche era que neste veículo coubesse pelo menos um carrinho de golf. Originalmente designado de 901, a Porsche viu-se obrigada a mudar a nomeação do seu carro, devido à Peugeot já ter registado a patente de três dígitos com um zero no meio.
Em 1969 surge o 914/8, com um motor de quatro cilindros boxer em linha, ou seja, foi nesta fase em que as ligações entre a Porsche e a VW se estreitaram. Este carro concebido com o claro propósito de ser um veículo desportivo, mas sobretudo acessível, conheceu mais tarde motorizações de seis e oito cilindros, sendo este último que figura na mostra da Porsche.

Da década de 70 até aos dias de hoje

Depressa se chega à década de 70, com o 911 S 2.2 Targa a ser um excelente representante desta era, especialmente quando relacionado com o exigente mercado norte-americano, uma vez que este modelo foi idealizado tendo em vista esta área do globo. Do mesmo ano, mas fabricado apenas para competição foi o 908/03 Spyder. Com um peso que não ultrapassava os 545Kg, conseguido graças ao recurso de espuma-plástica reforçada na carroçaria, a versão que figura no museu reporta às três participações oficiais, sendo a mais importante a vitória conquistada em 1970 nas míticas Targa Florio, com Jo Siffert e Brian Redman ao volante desta máquina de oito cilindros em linha e qualquer coisa como 350 bhp!!!
No ano seguinte e sempre com o claro intuito de evoluir os seus carros, a Porsche apresentou um dos carros de competição que ainda hoje ainda desperta emoções várias. O Porsche 917 Short-Tail Coupé é uma das grandes atracções do Museu Porsche e não é para menos, uma vez que entre o seu vasto palmarés, conta-se o recorde ao traçado de Le Mans em 1971, com a equipa Gijs van Lennep e Helmut Marko, à impressionante média de 222.30 Km/h. E já que se fala aqui do Porsche 917, quando visitámos o museu, estava patente uma mostra destes carros de competição: o PA Spyder de 1969, o KH Coupé de 1970, o LH Coupé de 1971, o 917/ 20 Coupé do mesmo ano e ainda um 917/30 Spyder. Digno de se ver. Digno de se ver também era o 956 que, quando chegava aos 312,4Km/h, e segundo a teoria de “donwforce” podia andar de cabeça para baixo, colado a uma pista. Dai que a Porwche tenha colocado um 956, com as cores da Rothmans (que saudades desses tempos…) de cabeça para baixo.
Outros interessantes veículos presentes no Museu Porsche passam pelo McLaren TAG MP 4/2 C de Fórmula 1 com que Nikki Lauda venceu o Mundial de 1986 que tinha uma potência da ordem dos 850bhp. Ou por exemplo, o Porsche Panamericana Concept Car, produzido em 1989 para o 80º aniversário de Henry Porsche. Este veículo tinha como base o 911 Carrera 4 e serviu de base para o lançamento do Porsche Boxster mais tarde.
Mas há muito, muito mais para descobrir em Estugarda. Só quisemos dar-lhe um cheirinho do que se passa por lá…

Texto: Redação
Imagens: Classic Press Center ©

Museu Porsche
Morada: Porsche Museum
Porscheplatz
D-70435 Stuttgart
Alemanha
www.porsche.com/museum

Horário
De Terça-feira a Sábado: 9h às 18h;
Encerra à segunda-feira;

Bilhetes:
Adultos: €8;
Crianças, estudantes, desempregados, cidadãos seniores, membros das forças armadas, deficientes: €4;
De realçar que o museu possui um sistema auditivo, onde os visitantes ouvem um pouco da história de cada modelo;



PARTILHAR:

Deixe um comentário

Please Login to comment