BMW 503 Cabriolet Serie I, de 1956

Clássicos 01 Ago 2012

BMW 503 Cabriolet Serie I, de 1956

Tal como a sua rival Mercedes-Benz, também a BMW se encontrava numa difícil situação nos anos do pós-guerra, com a maior parte de suas fábricas destruídas, agravada pelo facto da sua força de produção estar agora dividida por dois países, uma vez que as instalações de Eisenach se localizavam agora na República Democrática Alemã. Já baseada em Munique, a “nova” BMW decide então, após um longo período de deliberações, concentrar esforços na produção um novo modelo de luxo, visando no topo do mercado: o 501. Fabricado pela Baur em Estugarda, tal como o seu sucessor, o 502 – uma vez que só em 1955 a BMW teve capacidade para produzir carrocerias –, ambos realizaram em pleno o objectivo ganhar a atenção do público. No entanto, o seu motor de 2 litros e seis cilindros anterior à guerra – baseado no 326 – estava já ultrapassado, dando lugar a um modelo de maior capacidade.
Com a perícia de engenharia de Fritz Fiedler e desenhado por Albrecht von Goertz, o elegante 503 Cabriolet, com uma carroceria de duas portas e 2+2 lugares, foi então apresentado no Salão Automóvel de Frankfurt de 1955, juntamente com o roadster 507. O novo motor V8, que tinha já sido ensaiado no 502, tinha agora 3168 c.c. com duas válvulas por cilindro e – equipado com carburadores Zenith 32 NDIX – debitava 140 cv às 4800 rpm, com 216 Nm de binário máximo às 3800 rpm. Com um peso de 1500 kilos, o BMW 503 Cabriolet acelerava até aos 100km/h em 12,8 segundos, sendo capaz de atingir uma velocidade máxima de 190 km/h, equipado com uma caixa manual de quatro velocidades. No final da sua produção, em Março de 1959, tinham sido construídos apenas 139 exemplares.

“Best of Show”

Este BMW 503 Cabriolet Serie I, fabricado em 1956, com o chassis nº 69081 foi entregue ao seu primeiro proprietário em Nova York – o arquiteto Emanuel Weisfeld – apresentando 3 outros proprietários subsequentes, tendo um deles imobilizado o carro durante 20 anos.
Nas mãos do seu mais recente dono, foi alvo de um profundo restauro – que separou o chassis da carroceria de alumínio –, perfeitamente documentado em fotografias detalhadas reunidas num álbum que acompanha a venda.
Tal como muitos outros modelos europeus que foram importados para a América do Norte, também este 503 Cabriolet estava mal equipado para lidar com o calor adicional, tendo o seu motor aquecido demasiado ainda com o primeiro dono. Foi então instalado um motor de menor cilindrada – o 2,5 que equipava também os Talbot-Lago America e os Frazer Nash Continental – juntamente com uma transmissão com comando no chão (ao invés da original, na coluna de direcção) de um 507. Hoje, este 503 Cabriolet apresenta o motor correcto de 3,2 litros, originário da Alemanha com cerca de 14 000 km. O radiador foi modificado e é hoje maior do que o original, sendo agora plenamente capaz de refrigerar corretamente o motor. Embora a precisão do restauro fosse importante, a transmissão do 507 foi mantida por ter relações melhores. Durante o restauro, todos os componentes de chassis e suspensão foram reconstruídos ou substituídos. Mesmo o rádio Becker Mexico original foi totalmente reconstruído segundo funções e especificações de fábrica. Um grande número de peças NOS (New Old Stock) foram compradas na Alemanha, incluindo travões ou botões do interior.
A cor encarnada do exterior é complementada por uma capota de tela “beije” e estofos em pele na mesma cor, com pesponto igualmente encarnado. O conforto do interior em couro Inglês é muito bem complementado com tapetes em lã Wilton. O compartimento da bagagem foi também estofado de novo, tal como de fábrica, utilizando os mesmos materiais. É fornecido com a caixa de ferramenta original e o respectivo conjunto de ferramentas.
Logo após o restauro, em 2011, este BMW 503 Cabriolet Serie I venceu o troféu “Best of Show” na categoria “Melhor BMW do pós-guerra, do Hilton Head Concours d’Elegance. O actual proprietário não hesita em afirmar orgulhosamente que “este é o melhor 503 do mundo, neste momento.”
O carro será levado a leilão pela RM Auctions nos dias 17 e 18 de Agosto, em Monterey, na mesma semana do afamado Pebble Beach Concours d’Elegance, com um preço estimado de venda situado entre os 320 e os 425 mil Dólares.
Mais informações em www.rmauctions.com

Texto: Jornal dos Clássicos
Imagens: RM Auctions – Jim Luning



PARTILHAR:

Deixe um comentário

Please Login to comment