Sucesso total nas 1000 Milhas Históricas Brasileiras

Eventos 26 Jun 2012

Sucesso total nas 1000 Milhas Históricas Brasileiras

Terminou em São Paulo, Brasil, a segunda edição do Rallye Internacional 1000 Milhas Históricas Brasileiras, com a vitória de Gilbert e Raquel Landsberg em Jaguar MK2 de 1962.
Landsberg, vice-presidente da Shell Brasil, em equipa com a esposa, era um dos grandes favoritos à vitória final, tendo vencido durante três dos quatro dias em que decorreu a prova.
“Achei este rallye de regularidade ótimo, passando por estradas e paisagens lindas. No ano passado só fizemos Turismo e agora competimos. Foi muita adrenalina e as oportunidades de erros são enormes. O sabor da vitória é doce. Este rallye com cálculos de regularidade, dá um sabor melhor para a vitória” referiu. Na segunda posição ficaram Christian De Rey e Fred Macedo, em Corvette de 1963. “A ideia era a buscar a vitória, mas os outros competidores eram mais afinados e experientes”, explicou De Rey. “O importante é que entramos na briga e voltaremos no próximo ano para vencer”, afirmou Fred. Vencedora no ano passado, a equipa de Rogério Franz e Mário Nardi terminou em terceiro lugar. “Dentro das circunstâncias foi ótimo, em virtude dos problemas com o carro. Já foi uma vitória chegarmos ao fim do rallye. Passamos por lugares maravilhosos que não conhecíamos. Tivemos alguns probleminhas, mas valeu muito a pena”, apontou Franz, que teve alguns pequenos problemas mecanicos no seu Triumph TR4 de 1962. “Chegar já foi uma vitória. No ano que vem, viremos para brigar novamente”, encerrou o navegador.
Ao volante dos 50 clássicos inscritos, maioritariamente europeus, fabricados entre 1919 e 1980, os participantes percorreram 1619 km – dos quais 941 Km em seções de regularidade – durante quatro dias de chuva, frio e calor, através de estradas históricas brasileiras, passando por cidades do interior dos estados de São Paulo, Rio de Janeiro e Minas Gerais. Praticamente todos receberam a bandeirada de chegada no Shopping Iguatemi, em São Paulo, havendo apenas a registar sete abandonos.

Relatos de satisfação

Para Luis Cezar Ramos Pereira, presidente do MG Club do Brasil e organizador do evento, “novamente o sucesso foi total. Não tivemos muitos problemas, os abandonos foram de apenas 14¢ e todo mundo se divertiu. Tanto que já estamos pensando no próximo, que deverá ser ainda melhor. Vamos aguardar o parecer da FIA-Historic e da FIVA para marcarmos a prova de 2013. Só tenho que agradecer a todos os participantes, principalmente ao envolvimento e prestígio de meus ídolos Nelson Piquet e Roberto Moreno, e aos meus companheiros de clube”.
O tricampeão mundial de Fórmula 1 Nelson Piquet, que participou pela primeira vez com a sua esposa Viviane, no Jaguar E-Type 1972, promete voltar. “Adorei e se me convidarem no ano que vem, voltarei novamente”, disse Piquet, que comemorou a vitória de seu filho na Nascar no hotel em Campos do Jordão, no penúltimo dia da competição.
O ex-piloto de Fórmula 1 e Fórmula Indy Roberto Moreno, que também participou – com a sua filha como navegadora e participante mais jovem, com 17 anos – num Alfa Romeo GTV 2000 de 1974, gostou tanto da aventura que quer aprender mais sobre rallye para lutar por uma posição bem melhor do que o 16º lugar que garantiu. “Gostei muito desta nova experiência. No próximo ano quero vir para disputar mesmo, para terminar entre os primeiros”, assegura Moreno.

A equipa portuguesa

Embora com uma óptima prestação durante o primeiro dia, a equipa portuguesa de José Romão de Sousa e Milu Romão – com um Volvo Amazon de 1967, gentilmente cedido por Luis Cezar Ramos Pereira – acabou por não ser feliz no resultado final, devido a um problema mecanico. Foi logo no final do segundo dia, quando faltavam apenas duas horas para completar os 504 km entre Angra dos Reis e Caxambu, que o Volvo com o número 18, partiu o amortecedor esquerdo da frente. O atraso de meia hora na procura de uma nova peça, fez com que a equipa perdesse 10 minutos em cada um dos 5 controles seguintes, provocando uma vertiginosa descida na classificação, da segunda posição que ocupavam no primeiro dia, para o penúltimo lugar. Embora tenha iniciado o terceiro dia de prova ainda sem o novo amortecedor montado no Volvo, a equipa portuguesa conseguiu recuperar até à 24ª posição, acabando no entanto por não conseguir atingir os 10 primeiros lugares no final das 1000 milhas.
Mais informação em www.1000milhashistoricas.blogspot.com

Texto Jornal dos Clássicos
Imagens: José Romão de Sousa/Vera Lambiasi

Classificados

Deixe um comentário

Please Login to comment

Siga-nos nas Redes Sociais

FacebookInstagramYoutube