BMW 3,0 CSL de 1973, um

Mercado 10 Mai 2012

BMW 3,0 CSL de 1973, um “Batmobile” discreto

Produzido em duas séries distintas, entre 1973 e 1975, o BMW 3,0 CSL era um verdadeiro carro de corridas para a estrada. As suas características específicas incluíam o motor de 3003 c.c. OHV de seis cilindros em linha, com 206 cv, injecção electrónica de combustível Bosch D-Jetronic, caixa manual de quatro velocidades, suspensão independente às quatro rodas, travões hidráulicos de disco, portas e capô do motor em liga leve, restantes painéis em chapa de aço mais fina e um espartano interior “lightweight”. Algumas versões possuíam mesmo janelas laterais em Perspex bem como ausência de isolamento acústico. O seu proeminente pára-choques dianteiro, bem como os radicais dispositivos aerodinâmicos, foram as opções do pacote “Aero” que inspiraram o seu apelido de “Batmobile”. Como curiosidade refira-se que as asas traseiras não eram instalados na fábrica, mas sim fornecidas no porta-malas para a sua posterior instalação, em virtude da sua utilização ser ilegal nas estradas alemãs.
Baseado no 3,0 CS (com o código interno E9), um coupé de duas portas fabricado para BMW pelo carroçador alemão Karmann entre 1968 e 1975, o 3,0 CSL foi introduzido em Maio de 1972, como uma homologação especial, construído para se tornar elegível a competir no Campeonato Europeu de Carros de Turismo. Neste caso, o “L” na designação significava leicht ou ligeiro, ao contrário de outras designações BMW, em que significava lang ou longo. O motor de 2986 c.c. da versão CS viu assim a sua capacidade ligeiramente aumentada para 3003 c.c. em 1972 de modo a permitir a sua participação na categoria “acima dos três litros”.

Uma carreira vitoriosa entre 73 e 79

Nas pistas, o 3,0 CSL venceu o Campeonato Europeu de Turismos de 1973 com Toine Hezemans, que também partilhou a condução de um CSL 3.0 com Dieter Quester, levando-o a uma vitória na classe em Le Mans, nesse ano. Chris Amon, venceu também as 6 Horas de Nürburgring em 1973 com um BMW 3.0 CSL.
Depois de 1974, o CSL continuou a competir no campeonato de Turismos alemão e no Grupo 5 da FIA nas mãos de pilotos como Hans-Joachim Stuck. A CSL foi também bem sucedido no IMSA GT Championship nos Estados Unidos conduzido por pilotos como Brian Redman, Ronnie Peterson e Sam Posey.
O BMW 3,0 CSL acabaria por vencer sucessivamente o Campeonato Europeu de Turismos entre 1975 e 1979. Foi este palmarés em que ajudou a estabelecer o posicionamento actual da BMW como fabricante de carros desportivos.
Para terminar lembramos que os dois primeiros “Art Cars” da BMW foram exactamente modelos 3,0 CSL – o primeiro da autoria de Alexander Calder e o segundo pintado por Frank Stella.
O exemplar que hoje retratamos e que será levado a leilão pela RM Auctions no próximo fim de semana de 11 e 12 de Maio, no Fórum Grimaldi, no Mónaco, é o número 47 de uma edição limitada e encontra-se certificado pela BMW. Foi comprado pelo atual proprietário em 2010, tendo desde então apenas percorrido cerca de 200 km. Está equipado com “baquets” de competição Scheel, volante MOMO Protótipo plano e encontra-se em excelente estado de conservação e condição totalmente original, claramente beneficiando dos cuidados e manutenção adequados a que tem vindo a ser submetido.
Para este BMW 3,0 CSL de 1973, a conceituada leiloeira canadiana prevê um valor final de venda situado entre os 35 e os 45 mil Euros.
Mais informações em www.rmauctions.com

Texto: Jornal dos Clássicos
Imagens: RM Auctions

Classificados

Deixe um comentário

Please Login to comment

Siga-nos nas Redes Sociais

FacebookInstagramYoutube