Faleceu Anatole Lapine, o designer do Porsche 928

Arquivos 04 Mai 2012

Faleceu Anatole Lapine, o designer do Porsche 928

Faleceu no passado dia 29 de Abril, o designer letão Anatole Lapine. Nascido em Riga, a 23 de Maio de 1930, foi aprendiz de mecânico na Daimler-Benz, em Hamburgo, antes de emigrar para os Estados Unidos em 1951. Um ano mais tarde “Tony” Lapine, como era então conhecido, ingressou no departamento de engenharia avançada da General Motors, empresa para qual trabalhou até o final dos anos sessenta, sobretudo no “estúdio secreto” de Bill Mitchell, ajudando a conceber muitos dos concept-cars dessa era, como o Corvair Monza de 1962 GT, o Corvair Monza SS de 1963, e o CERV, o desportivo de Zora Arkus-Duntov – o “pai” do Corvette. Incontornável foi também o seu trabalho com Larry Shinoda no Corvette Sting Ray de 1963. O II CERV foi o seu último projeto para General Motors nos Estados Unidos, antes de ser transferido para a Alemanha.
Já na Opel, Lapine atrai as atenções ao instalar um motor 1900 preparado, com 150 cv, num Opel Rekord aparentemente comum, mas equipado com o capô do motor e as portas em alumínio, e um “roll cage”. O carro ficou conhecido como “Viúva Negra”, suscitando comentários por toda a Europa. Anatole Lapine foi então recrutado para assumir o cargo de designer-chefe da Porsche em 1969, fabricante para o qual trabalhou durante quase 20 anos, até 1988 e para a qual o seu trabalho mais conhecido é o Porsche é o 928, apresentado em 1978.
Originalmente criado para substituir o 911 – depois de Harm Lagaay ter desenhado o 924 como um projecto para a Audi –, o 928 combinou com sucesso a performance e comportamento de um carro desportivo, com o requinte o conforto e de um carro de luxo. O Este novo conceito dava resposta às ideias de um grupo de executivos da Porsche, liderados por Ernst Fuhrmann, sobre o que seria um veículo com maior apelo do que o 911, com a sua forma e comportamento peculiares. O 928 distinguia-se também por ser o único coupé daquele fabricante equipado com um motor V8, montado à frente. Refira-se que o modelo, embora não tenha conseguido substituir o 911, tornou-se rapidamente um sucesso de vendas nos Estados Unidos.
Para além do 928, Anatole Lapine ajudou ainda a Porsche a “actualizar” as gerações seguintes do 911, produzidos a partir de 1974, nomeadamente a chamada “Série G” com os seus característicos pára-choques preparados para absorver forças de impacto a baixa velocidade, requeridos pelas novas leis americanas – ou “impact bumpers” como ficaram conhecidos. No departamento de engenharia da Porsche, Lapine trabalhou também em projectos para clientes externos, como o Mercedes 500 E de 1991, que era fabricado pelas duas companhias.
Para Michael Mauer, o actual designer-chefe da Porsche, Anatole Lapine era “um designer que não seguia a moda, definindo antes novas tendências, através dos seus conceitos.”

Texto: Jornal dos Clássicos
Imagens: Porsche

Classificados

Deixe um comentário

Please Login to comment

Siga-nos nas Redes Sociais

FacebookInstagramYoutube