Fotobiografia de Ernesto Neves publicada online

Arquivos 13 Abr 2012

Fotobiografia de Ernesto Neves publicada online

Da autoria de José Guedes, encontra-se publicada online uma fotobiografia sobre a vida do piloto português Ernesto Neves. Um dos nomes mais importantes da história do automobilismo desportivo em Portugal, Ernesto Neves – mais conhecido como “Nené Neves” – foi o piloto português que mais provas e campeonatos de automóveis ganhou em menor tempo, entre 1966 e 1973.
Iniciado em Outubro de 2009, sob a forma de um blogue, esta fotobiografia tem tido actualizações constantes, de acordo com as novas referências escritas ou iconográficas que vêm surgindo e conta já com mais de 50 mil visualizações. Como refere José Guedes, “trata-se de uma fotobiografia autorizada. Estes trabalhos são feitos por ambos, ou seja, o ‘Nené’ fornece uma boa parte do material e dá algumas sugestões editoriais. Eu organizo, pesquiso e trato de todo o processo relacionado com a publicação”. Focando-se em aspectos variados, da vida de Ernesto Neves, o projecto tem como origem uma simples conversa: “O Nené conhecia o meu blogue sobre os Porsche 356 através de um amigo comum e um dia veio ter comigo dizendo que tinha guardado muito material relacionado com a sua carreira e que gostava de ter o seu próprio espaço na Internet. Perguntou se eu estava disposto a aceitar o desafio, ao que eu disse logo que sim, claro. O trabalho fez-se, foi crescendo, e acabou por ‘transbordar’ para outros domínios (hipismo, motociclismo, navegação, etc). Neste momento o blogue está na fase ‘ongoing’, ou seja, vai sendo actualizado à medida que surja novo material. Tenho em meu poder centenas de fotografias relativas à carreira do Ernesto Neves e a colecção quase completa do jornal ‘Motor’ que cobre o período de 1964 até 1973. Houve também uma colaboração significativa de coleccionadores privados, que forneceram imagens, documentos e informações do maior interesse. Além disso, a biblioteca do ACP e a Hemeroteca Municipal de Lisboa tornaram-se locais de ‘peregrinação’ obrigatória para mim” refere o autor.
Um trabalho pormenorizado da maior relevância para a história do desporto motorizado em Portugal e que reacende velhas memórias e paixões de todos quantos o consultam, este blogue ajudará também os mais novos apaixonados pela época de ouro das corridas, a melhor compreender e enquadrar historicamente a realidade portuguesa vivida naqueles dias. Publicamos de seguida um excerto do blogue, dedicado ao Team Palma:
“A família Palma esteve desde sempre ligada à competição automóvel como se comprova pelo 2º lugar conseguido por Manuel Palma no rali de Monte Carlo de 1951, num Ford 100 cavalos, com Fernando Mascarenhas e Conde de Monte Real. O filho Augusto nasceu e viveu dentro dos carros e das oficinas, demonstrando desde sempre uma aptidão natural não só para a mecânica mas também para a inovação, transformação e até condução. Tinha uma vocação natural. Quem da época não se lembra do seu VW, com motor Porsche, a escorregar na pista de Alvalade? E também dos ralis de Monte Carlo, das voltas a Portugal – uma das quais venceu com Mané Nogueira Pinto, em Porsche – dos vários carros que conduziu, tal como os Cooper e o Cortina Lotus comprado ao Team Lotus quando das negociações para ficarem importadores da marca para Portugal? Por vezes via-se nas oficinas (quando o pai não estava) o Augusto pegar num carro qualquer e ‘sacar’ um peão só para facilitar uma manobra ou arrumar um automóvel. Era ver clientes e mecânicos a fugir.
A primeira vez que o nome TEAM PALMA aparece escrito num carro é quando o Cortina Lotus chega a Portugal, com as letras ‘TEAM LOTUS’ escritas na porta. Bastou substituir LOTUS por PALMA. Ficou bem e nasceu uma equipa. A partir daí e com a construção de 14 ou 15 Formula V, chamados ‘Palma V’, e da importação de vários Fórmula Ford, a equipa começa a ganhar forma e virá a contar com carros como os Ford (Cortina , Escort e Capri), Formulas (V e Ford), Lotus (47, 62, Europa e Elan), NSU, Chevrolet Camaro Z 28 e, finalmente, o GRD Cosworth, só para nomear alguns. Nunca se contou, pois não era esse o objectivo, o número de vitórias alcançados pelo ‘TEAM PALMA’ no período que vai de 1966 a 1973. Mas é, com certeza, muito significativo. Após a morte de Manuel Palma, num brutal acidente de automóvel no dia 14 de Julho de 1973, Ernesto Neves abandona a competição. A crise petrolífera desse ano e a revolução de 25 de Abril de 1974 colocam um ponto final naquela que foi, sem dúvida, uma das mais importantes instituições do desporto automóvel alguma vez existentes em Portugal”.
Conheça a totalidade da biografia de Ernesto Neves em vidafundo.blogspot.pt

Texto: Jornal dos Clássicos
Imagens: Ernesto Neves / José Guedes



PARTILHAR:

Deixe um comentário

Please Login to comment