Clássicos e Supercarros: Os meus favoritos

Clássicos 03 Dez 2018

Clássicos e Supercarros: Os meus favoritos

Por Hélio Valente de Oliveira

Como qualquer entusiasta que se preze, há um certo número de marcas e modelos que nos cativam a imaginação. Cada um tem as suas razões para escolher um modelo em detrimento de outro, não importa qual desde que faça sentido para cada um. Como tal, só posso falar de mim e de como funciona pessoalmente.

 

Nunca fui de elaborar listas, sempre as achei um pouco redutoras e…talvez muito estáticas. Mas por outro lado, podemos sempre modificá-las. No meu caso é um trabalho sem fim. Há sempre qualquer outro modelo que estava como que “dormente” e de repente, por qualquer razão, não importa qual, salta para a ribalta, exigindo toda a minha atenção.

 

Há um detalhe que me faz despertar o interesse: a raridade. Embora goste de muitos mais modelos, estes atraem-me de sobremaneira.

 

Além dos clássicos, tenho uma especial predilecção por supercarros e hipercarros, mas vou restringir a minha lista a modelos que já saíram de produção, pelo menos há vinte anos.

 

Outro ponto é a ordem de apresentação…não consigo escolher um favorito, e por isso decidi apresentá-los por ordem alfabética, por marca. Tentarei elaborar a razão da minha escolha modelo a modelo… embora não seja fácil. Em muitos casos a escolha é completamente subjectiva…

 

1) Alfa Romeo 33 Stradale

 

 

A especificação é estonteante: um V8 com dois litros de capacidade, capaz de fazer 8000 rpm…em 1967! Particularmente atractivos são os protótipos, com a frente de quatro faróis…

 

2) Aston Martin DB4 Zagato

 

 

Sou um fã das criações da Zagato. Claro que a foto, com Jim Clark ao volante em Goodwood também ajuda. Quando lhe perguntaram porque é que fazia a curva em powerslide, Jim Clark respondeu que era a única maneira de contrariar a natureza subviradora do DB4…

 

3) Bugatti 

 

Três modelos a salientar:

 

35B 

 

 

Provavelmente o mais conhecido. Um modelo para correr em Grand Prix, mas que podia circular na estrada. A essência da marca.

 

57 Atlantic

 

 

O primeiro supercarro… com uma construção e um design completamente diferente do que se fazia na época.

 

EB110 SS

 

 

O renascimento da marca. Muito criticado na altura, o 110 provou estar pelo menos 20 anos à frente do seu tempo…

 

4) Citroën SM

 

 

Uma miniatura despoletou o interesse quando tinha sete ou oito anos. Claro que ver um ao vivo pouco depois só cimentou a ideia. A condução é única… a prova que a suspensão não precisa de ser dura para o comportamento ser exemplar. Ainda hoje há outros construtores a apresentarem soluções como muito inovadoras e que já tinham aparecido no SM. Outras ainda nem apareceram…

 

5) Facel Vega 

 

Alta-costura automóvel. Todos os produtos da Facel são extraordinários e únicos. A quantidade de detalhes fora do vulgar é avassaladora. Realço:

 

HK 500

 

 

Um coupé, ou melhor um GT na verdadeira acepção da palavra.

 

Facel II

 

 

A continuação do anterior e o canto do cisne da marca.

 

6) Iso Grifo 

 

 

Dos automóveis mais bonitos alguma vez produzidos. Aliavam motores americanos com design e concepção italiana, pela mão de Giotto Bizzarrini.

 

7) Jaguar XJ13 

 

 

 

Alguns dizem que foi construído para testar o então novo motor V12, outros que seria o sucessor dos “C” e “D”. O que é certo é que nunca correu, mas faz parte da mitologia automóvel.

 

8) Lamborghini

 

Durante muitos anos a minha marca favorita. Dois modelos a assinalar:

 

Miura

 

 

Criou a expressão “supercarro” tal foi o impacto após o seu lançamento. Nunca se tinha visto nada assim na estrada… Posso assegurar que o impacto causado num miúdo de sete anos, que seguia no banco traseiro do automóvel do pai, quando este foi ultrapassado por um Miura perto do redline, é algo que não se esquece.

 

Countach QV

 

 

Qualquer coisa a seguir ao Miura corria sérios riscos de não ser levada a sério… mas tal não aconteceu com o Countach. De uma assentada, a Lamborghini mudou as regras do jogo que tinha sido criado por si. O ícone dos anos 70 e 80.

 

9) Maserati A6 GCS Pinninfarina 

 

 

Normalmente acho as criações de Pinninfarina muito mainstream para o meu gosto. Mas aqui há qualquer coisa de muito interessante…

 

10) Mercedes-Benz 

 

Duas criações, talvez inesperadas, da marca:

 

SSK “Count Trossi

 

 

Quem disse que um Mercedes não pode ser sexy? A elegância desta carroçaria é desarmante…

 

300 SLR Uhlenhaut Coupé

 

 

A versão civil do SLR de competição. A única diferença era mesmo a carroçaria. Construído para uso pessoal de Rudolf Uhlenhaut como meio de transporte entre os vários circuitos onde os SLR de competição corriam…

 

11) Automobiles ou Avions Voisin?

 

Seja como for, Gabriel Voisin produziu dos automóveis mais avançados nas décadas de 1920 e 1930. Um visionário, Voisin introduziu conceitos como a aerodinâmica e a utilização de materiais, como o titânio, na construção dos seus automóveis. Sem duvida, conceitos aprendidos na produção de aviões, o seu anterior ramo de actividade. Destaco duas criações:

 

C25 Aerodyne

 

Um estudo aerodinâmico do que seriam os automóveis no futuro.

 

C28 Aerosport

 

 

Uma continuação do mesmo tema. As criações de Gabriel Voisin reflectiam o clima de euforia que se vivia na Europa do pós-guerra. Exuberantes, luxuosos e extremamente caros, muitos foram desmantelados para aproveitar os materiais mais exóticos durante a II Guerra Mundial.


TAGS: Alfa Romeo Aston Martin Bugatti Citroën Jaguar Lamborghini Maserati Mercedes-Benz


PARTILHAR:

Mais Populares

Deixe um comentário

avatar