Porsche 924: O patinho feio que não pára de valorizar

Clássicos 12 Mar 2018

Porsche 924: O patinho feio que não pára de valorizar

Por Francisco Lemos Ferreira

O 924 quando surgiu ficou conhecido pelo Porsche refrigerado a água. A história do modelo começa com a Volkswagen ainda atrapalhada com a queda de vendas do Carocha e em dificuldades financeiras, acabou por desistir da construção do novo Audi com o projecto já bem adiantado.
 
Como a Porsche precisava de um substituto para seu 914 de mecânica Volkswagen “a ar”, acabou por comprar os direitos de produzir o carro. Seria fabricado nas instalações da Audi em Neckarsulm, mas sob responsabilidade da Porsche, Nascendo assim em 1976, o Porsche 924.
 
Foi o primeiro modelo da marca a abandonar o motor traseiro refrigerado a ar. O 914 tinha o atrás entre eixos e mas ainda arrefecido a ar. A Volkswagen vinha gradualmente nessa época a abandonar essa tendência levando também a Porsche a acreditar ser esse o caminho no futuro.
 
O Posche 924 tem uma instrumentação completa e bem posicionada e com um perfeito posicionamento dos pedais que permite uma excelente posição de condução.
 
O 924 é um caro estreito com 1,68 m de largura com uma óptima distribuição de peso entre os eixos, pecando apenas pela demora da Porsche em equipar o modelo com motores mais potentes nomeadamente com a introdução do turbo, sendo a cereja o célebre 924 Carrera GT.
 
O 924 veio inicialmente equipado com um velho conhecido motor VW de 2 litros com 125 cv, com uma carroçaria monobloco com boa aerodinâmica permitia alcançar 200 km/h logo nas primeiras versões, apesar da lenta aceleração foi para surpresa de muitos um secesso de vendas na Europa e nos Estados Unidos.
 
A família 924/944/968, apesar de até hoje desconsiderada pelos tradicionalistas, por ter inaugurado a era do motor dianteiro refrigerado a água na Porsche, exemplifica claramente os verdadeiros princípios de Zuffenhausen: origens humildes, entrelaçadas com a VW, mas desenvolvidas pacientemente ao longo dos anos.
 
O Porsche 924 e seus descendentes têm tanto direito de usar o logotipo da Porsche quanto qualquer 911. Aceite ou não pelos puristas, é actualmente, e indiscutivelmente, uma peça em constante valorização o mercado de clássicos em Portugal.

ArrowArrow
Slider

TAGS: Porsche


PARTILHAR:

Mais Populares

Deixe um comentário

1 Comentário em "Porsche 924: O patinho feio que não pára de valorizar"

avatar
Paulo
Visitante

Conheci o 924 através de uns recortes de uma revista que uma prima me trouxe. (Ainda os tenho). Por volta de 1980. Fiquei deslumbrado. Ainda hoje gosto da linha e apenas a realidade me impede de ter um. Posso perceber que não seja o melhor Porsche da história. Até pode ser pior que o 914. Mas acho que se bateu demasiado na mesma tecla que o 924 não era um Porsche verdadeiro e que não prestava. Por isso muitos desapareceram impiedosamente. Agora é o ‘ver se te vias’ para conseguir um falso Porsche….