Mini de 1959 não restaurado vendido por mais de 50 000 Euros

Mercado 02 Mai 2012

Mini de 1959 não restaurado vendido por mais de 50 000 Euros

Um Austin Mini 1959 Se7en De Luxe Saloon, que se acredita ser o mais velho sobrevivente Mini por restaurar em todo o mundo, foi vendido pelo surpreendente valor de 40 250 Libras, um pouco mais de 50 000 Euros. Este incrível feito teve lugar na passada segunda-feira durante leilão de automóveis antigos e automobilia da Bonhams, realizado no Museu da RAF, em Hendon. Depois de ter atraído as atenções da imprensa mundial, este sobrevivente acabou vendido por mais do tripo da sua estimativa inicial de venda, que se situava entre as 12 e as 15 mil Libras esterlinas. O carro era acompanhado por documentação do British Motor Industry Heritage Trust que comprova a sua originalidade, tratando-se do oitavo exemplar a saír da linha de produção de Longbridge, em Maio de 1959 – cerca de três meses antes do lançamento deste modelo no dia 26 de Agosto. A mesma documentação confirma ainda que o carro foi enviado, em 31 de Julho de 1959, para o Car Mart Limited, em Colchester, cuja chapa de serviço encontra ainda rebitada no compartimento do motor. Acredita-se que existam apenas três Minis anteriores ao ‘XLL 27’: um faz parte da colecção do próprio British Motor Industry Heritage Trust, em Gaydon e ostenta a matrícula ‘621 AOK’, enquanto os outros dois se encontram actualmente no Japão, tendo um dos quais sido convertido em descapotável.
Um carro com um historial interessante, o Pontiac Chieftain Convertible Silver Streak, de 1950, que foi de propriedade de Keith Richards enquanto os Rolling Stones tiveram residência na Cote d’Azur em 1970, também superou as estimativas, tendo atingido 37 950 Libras. Este leilão da Bonhams realizou um total de vendas superior a 2 milhões de libras, com cerca de 86% dos lotes a serem vendidos. Outros automóveis cujo valor de venda poderá servir de referência incluem:

– Bentley Continental S-Series Sports Saloon, de 1957: 191 900 Libras;
– Bentley 3 Litros Tourer Speed, de ​​1924: 163 900 Libras;
– AC 428 Coupé, de 1969: 77660 Libras;
– Jaguar XKE Series 4,2 litros Série I Roadster, de 1965: 61 980 Libras;
– Jensen FF MkII Coupé, de 1970: 39 100 Libras
– Aston Martin V8 Saloon série 3, de 1975: 33 350 Libras;
– Ferrari Testarossa Berlinetta, de 1991: 33 350 Libras;
– Volvo P1800S Coupé, de 1966: 21 850 Libras;
– Daimler SP250 Sports de dois lugares, de 1961: 21 850 Libras;
– Alfa Romeo Montreal 2.6-Litre Coupé, de 1972: 17 537 Libras

John Polson, especialista do departamento automóvel da Bonhams, referiu: “O Museu da RAF provou ser novamente um local ideal para uma venda de automóveis antigos. O leilão atraiu licitações de todo o mundo, que resultaram resultando em preços elevados em toda a linha, especialmente para automóveis de proveniência fortemente comprovada ou com significado cultural”.
Mais informações em www.bonhams.com

Texto: Jornal dos Clássicos
Imagens: Bonhams



PARTILHAR:

Mais Populares

Deixe um comentário

Seja o primeiro a comentar!

avatar